sexta-feira, novembro 25, 2005

VOU CONFESSAR-VOS UMA COISA...

É que às vezes sinto-me tão perdida, tão perdida! Perdida e insegura. Eu explico:

Às vezes sinto-me parada no tempo. Penso na quantidade de coisas que poderia estar a fazer na minha profissão, mas que estão adiadas enquanto não dominar melhor o inglês.

E lá vou eu para as aulas de inglês. Não é que não goste, até que são divertidas. E sinto que estou a progredir bastante, é verdade.

Depois tenho as aulas do Childcare Course. Também não tenho grandes dificuldades, consigo entender, tenho algumas dificuldades de expressão mas nada por aí além. O pior é entendê-las (às britânicas) mais ao seu accent. Mas também nisso tenho feito progressos, apesar de às vezes ficar completamente a apanhar do ar.

Então mas que diabo se passa? Porque é que estás tão desanimada, se as coisas até estão a correr bem, perguntam vocês. Eu explico.

É que eu também sou formadora. Já dei formação, até já dei formação a Amas e Auxiliares de Educação (que no fundo é o curso que estou a fazer). Já estive do lado de lá, entendem? E às vezes sinto-me impaciente, sinto que o meu lugar não é este de cá, sentada na carteira e a ouvir e a acenar com a cabeça. Ainda para mais os assuntos para mim são mais que conhecidos! A única diferença realmente é a língua! Estão a perceber? Às vezes pergunto para os meus botões, mas que raio estou aqui a fazer?

Não é que não seja interessante estar do outro lado. É uma experiência nova e pode ser enriquecedora, acho que sim. Aliás, é isso que eu tento todos os dias. Tirar o melhor desta experiência.

Porque a verdade é que preciso de uma qualificação para trabalhar aqui, e a verdade é que é assim, trabalhando e falando com as pessoas que eu vou optimizar o inglês. No fundo acho que estou a ir no caminho certo. Só que às vezes é difícil não perder de vista os objectivos principais.

E depois há outra coisa. O meu inglês está a melhorar a olhos vistos, mas há situações para as quais ainda é muito pobre. Uma dessas situações é o Playgroup onde trabalho. Eu simplesmente não percebo nada do que dizem as criancinhas! E quando eles falam comigo aceno com a cabeça e rio e digo que sim, mas não percebo metade do que eles dizem! E eles, coitados, devem achar que sou maluca! E antipática, ainda por cima, porque às vezes fazem-me perguntas e eu não respondo ou mudo de assunto!

Agora a sério: não é bem assim, mas é quase. Ou melhor, não é só assim. A verdade é que lá vou entendendo e comunicando com eles e até já tenho uma menina que vem sempre ter comigo pedir-me para lhe ler uma estória. Eu lá vou e passado uns minutos ela já está interessada noutra estória ou noutra coisa! É claro que isso pode ter a ver com a minha forma de contar a estória, de certeza que não é a mais adequada, mas não terá só a ver com isso: como eu já referi, eles são muito irrequietos e dificilmente se conseguem concentrar numa estória durante algum tempo. Por isso o que fazemos mais é ver as imagens e comentá-las.

Essa menina, a Hayley, acho-lhe um piadão. Já vai havendo outras crianças que também já me conhecem e ganharam algum à vontade comigo (e eu com elas). Algumas ainda fogem quando eu me aproximo (tipo: estão a fazer um puzzle e eu chego, Hello! Oh, you're doing so well... Do you want a little help?, e eles olham para mim, levantam-se e vão para outro sítio! No outro dia houve um menino que agarrou nas peças do puzzle e abanou a cabeça!)

Mas é claro, os miúdos são mesmo assim, não fingem, não escondem o que sentem! E a verdade é que às vezes também eu sinto vontade de fugir dali a sete pés!

Pronto, já desabafei.

11 comentários:

Paulo Silva disse...

Um desabafo muito original.
GOSTEI MUITO.

PAULO SILVA.

sm disse...

Concordo com o comentário anterior!!! Vais ver que daqui a uns tempos as coisas melhoram, mas deve ser difícil...

:)
Sandra

O meu Blog! disse...

E então em Londres q deves apanhar míudos de várias nacionalidades, alguns com sotaque diferente...é complicado!!!

Mas é uma forma de ires treinando o Inglês pq estás sempre a falar...e eles têm com cada expressão q não lembra a ninguém. Porque raio estar chateado é estar crossed? Riscado?? Cruzado??
Estar doente, feeling poorly? Sentir-se pobre?

Força amiga, melhores dias virão!!

papu disse...

Por acaso aqueles são todos british... e alguns falam na perfeição! É incrível como logo em pequenos eles apanham aquele accent...

Mas assim por um lado é pior e por outro é melhor: é que eles não perdoam! E se tu falhas a pronúncia de palavra, caem-te logo em cima! Outro dia estava a jogar com os miúdos e eles estavam-se a passar pq eu, tás-me a ver, não pronunciava correctamente o nome deles.

"It's not Jessie, it's Jessie!" e coisas do género...

Mas sim, melhores dias virão, espero. Obrigada a vocês todos pela força :)

Pim disse...

Estou certo de que serão precisamente essas correcções constantes dos miúdos que vão ajudar a acelerar o processo de aperfeiçoamento do teu sotaque... Por muito que custe ;-)
Bjos

papu disse...

É verdade, é verdade...

Até o David já nos corrige o sotaque, às vezes!!!

É q eles apanham tão bem o accent... é mesmo incrível!

Beijos :)

Formiguinha disse...

Eu também tenho imensa dificuldade com o inglês (entendo, mas não consigo falar com fluência). Parece um bloqueio. Percebo perfeitamente a tua angústia.

papu disse...

Olá. Bem vinda formiguinha. :)

RR disse...

Não desanime. Estou em Londres há cerca de 2 anos e meio. Dou umas alas de laboratorio que no início eram complicadíssimas porque me faltavam as palavras. Mas o tempo ajuda.
RR

papu disse...

Obrigada, RR! Só agora é q vi o teu comentário. Bem vinda e obrigada pela força! :)

papu disse...

Oops! Bem vinda ou bem vindo! Sorry!
;)