sexta-feira, dezembro 16, 2005

SÓ ENTRE ANTEONTEM E HOJE FIZ 3 BOLOS IGUAIS A ESTE!


O primeiro foi para a festa de Natal da escola do David, na 5ª feira, o segundo foi para um almoço de Natal hoje no meu College e o terceiro foi para a família! E ainda fiz um tabuleiro de brigadeiros para uma festa ontem no meu College, também!

Estou imparável! Já a preparar-me para os afazeres do Natal!

Quando faço bolos lembro-me sempre da minha avó, e também da minha mãe. Mas esta época do Natal está principalmente associada aos meus avós, à casa deles em Estremoz, que era onde se reunia a família toda para a festa de Natal.

Com 8, 9, 10 anos (e se calhar mais nova, francamente não me lembro) eu já adorava ajudar a fazer bolos. A minha tarefa era segurar na tijela, mas depressa comecei a bater também a massa e garanto-vos que era uma expert! Até claras em castelo batia na perfeição (e não haviam batedeiras eléctricas, atenção, era tudo à mão! Lembram-se dos batedores de claras?).

Na altura do Natal, em casa da minha avó, a lista de bolos e doces era interminável. E eu ajudava em todos! A colher de pau lá de casa tinha um buraco no meio e quando se batia fazia um efeito engraçado na massa. Lembro-me tão bem dos braços fortes da minha avó a bater a massa, a bater, a bater, a bater... parece que a estou a ver.

Na noite de Natal reunia-se a família toda. Nunca mais voltei a ter um Natal assim... é que não eram só os avós e os pais e os netos: era uma montanha de primos e tios! A casa ficava cheia. O cheiro da comida e dos bolos e doces era delicioso. O calor espalhava-se no ar, misturado com os sorrisos e os olhares. E haviam sempre conversas animadas à volta da mesa, e anedotas, e boa disposição.

À meia noite tocava o sino e vinha o Pai Natal. Neste caso a Mãe Natal: era a minha mãe que vestia um roupão (verde, porque não havia nenhum vermelho), punha umas barbas e uns bigodes de algodão e descia as escadas com um saco cheio de prendas. A agitação das crianças era indiscritível!

No fim da noite havia papel de embrulho às cores espalhado por todos os cantos da casa. Iamos deitar-nos apenas quando já não nos aguentávamos mais em pé. E isto para nós, crianças, era um acontecimento!

4 comentários:

Alexandra disse...

e fizeste coisas muito mais importantes.

Ninguem nem nada nos pode tirar a nossa tranquilidade.

Acreditas em mim?
Fazes bem.

Abraço

sem cantigas disse...

oooo sei o que isso é: no dia dos anos é seguidos! a imaginação falta e repetem-se as formulas! ele não se importa: é bolo é anos!

Miduxe disse...

Hummmmmmmmmmmmmmmmm!
Estàs proíbida de mostrar estas iguarias, que bom aspecto!
Faz lá um e manda aqui para estes lados que eu agradeço!
Bjs gulosos

papu disse...

Eheheh

tá tudo a salivar, né? :)))

Alexandra, um beijinho muito grande :)