segunda-feira, janeiro 23, 2006

"MANDE URGENTEMENTE ALGUM CHEIRINHO DE ALECRIM!"

Depois de conhecidos os resultados destas eleições, lembrei-me subitamente da vitória do Lula, no Brasil. O Brasil, aquele colosso de injustiça social, de corrupção, de miséria, de contrastes gritantes, de violência armada, policial e civil, de exclusão e repressão sociais... Esse Brasil elegeu o Lula!

A eleição de Cavaco Silva, hoje, em Portugal, é o reverso, o avesso desse acontecimento no país irmão.

E lembrei-me da música belíssima de Chico Buarque, ao felicitar este nosso país em Abril de 1974. A data que marcou o fim da ditadura, o fim da censura, o fim de uma longa noite de repressão que parecia não acabar:

"Sei que estás em festa, pá
fico contente
enquanto estou ausente
guarde um cravo para mim.
Eu queria estar na festa, pá
com a tua gente
e colher pessoalmente
uma flor do teu jardim.
Sei que há léguas a nos separar
tanto mar, tanto mar
sei também quanto é preciso, pá
navegar, navegar.
Lá faz primavera, pá
cá estou carente
mande urgentemente
algum cheirinho de alecrim"

Mas esta versão foi posteriormente substituída por outra:

"Foi bonita a festa, pá
fiquei contente
ainda guardo renitente
um velho cravo para mim.
Já murcharam tua festa, pá
mas certamente
esqueceram uma semente
nalgum canto de jardim.
Sei que há léguas a nos separar
tanto mar, tanto mar
sei também quanto é preciso, pá
navegar, navegar.
Canta a primavera, pá
cá estou carente
manda novamente
algum cheirinho de alecrim"

Eu também queria, muito, estar na tua festa, pá.
Infelizmente, pá, sofres de memória curta, e não tens qualquer auto-estima nacional.
Já murcharam tua festa, pá, e só espero, como diz o Chico, que tenha ficado alguma semente nalgum canto de jardim...

12 comentários:

O meu Blog! disse...

Espera por mim...q hei-de para aí voltar...

Bjs!

papu disse...

É o q apetece, não é?

Virar costas, e deixar o barco afundar...

:(

Bjs

nascitura disse...

para mim, ficaram quase 21% de sementes que irão brotar nalgum jardim

Mi disse...

Esta semente já não sabe germinar neste jardim.

pequenita disse...

kuku...brigada pela visita ao meu cantinho....passei pa ver o teu e já agora dar os meus parabens pelo blog....
cumprimentos
pequenita

Pim disse...

Obrigado pelo cheirinho a alecrim que ficou no ar lá no cantinho ;)
Lentamente, os sorrisos começam a voltar. Em frente é o caminho, allez!

Beijokaaaas, amiga :)

Paulo Silva disse...

Cá por mim acho que este jardim
já não dá flôr.
Mas eu continuarei alegre
seja como fôr.
Boa semana.

sm disse...

Papu,

Só te posso dizer que tenho pena e que é a lutar e sem não baixar os braços que devemos continuar a lutar pelo país, concorde-se ou não se concorde, com cavaco ou sem cavaco, o que teria acontecido a quem acreditou nos famosos ideais de abril, se tivessem baixado os braços?!?! Estaríamos ainda presos à porcaria do salazarismo/marcelismo?!?!?! Se todos deixassem morrer as sementes do seu jardim?! Não são necessariamente todas da mesma cor!! Não podem ser todas da mesma cor!!!

Eu acredito no meu país e em lutar por ele no dia a dia e ajudar a torná-lo um país melhor, mais bem formado, a política não é um fim em si mesma, é apenas um meio, existe mais, muito mais!!!

Já te respondi, comenta à vontade, está bem?! É um grande testamento, peço desculpa!!!

:)
Sandra

Sinner disse...

It's been awhile... :)

Um beijinho

PS: love the photos

papu disse...

Eu também acredito (quero acreditar) nas sementes, e não, Sandra, não precisam de ser todas da mesma cor, mas falando sinceramente e cá do fundo, já perdi as esperanças nesse país à beira mar plantado. Aliás, esse (também) foi um dos motivos que me levou a apanhar o avião...

Beijinhos grandes para todos!

Wellcome, sinner. Nice to hear you again... :)))

O meu Blog! disse...

e não são sementes que nos pagam a casa e o comer ao fim do mês....ao fim de tantos anos já não há forças para lutar, quando vemos um país que não nos viu nascer dar-nos qualidade de vida para nós e para os nossos filhos, enquanto que o nosso só nos puxa para baixo...em tudo, saúde, educação, formação...coisas tão básicas e que não acarretam assim tantos custos se houver uma boa gestão e organização, que é o que falta a portugal...gestão e organização. E formação.

Bjs!

manda disse...

Eu quando vivia em Londres costumava dizer ao meu namorado que não conseguia viver sem o sol de Portugal e sem a minha gente (leia-se família). Esse sentimento foi esmorecendo e de Durão Barroso para cá que não passa um dia em que não pense em pegar nos putos e fugir daqui para fora. O facto de ter um marido Francês ajuda bastante, mas estranhamente, ele parece ser o mais interessado em manter-se cá. Eu já não acredito em Portugal :-(