quarta-feira, janeiro 11, 2006

NOS MOMENTOS DIFÍCEIS

espetamos um prego nas mãos, e nem sentimos a dor.
Vamos buscar forças ao fundo do saco roto da nossa coragem.

E lá vamos nós, pernas para que te quero
a fúria derradeira nos braços a mascarar a angústia e o murro no peito.

Mas depois, quando tudo acalma é que sentimos o peso de toneladas de aço
a empurrar-nos para baixo.

5 comentários:

um estranho disse...

Saudades de ti.
Que aflição em que andaste ...

É mesmo como dizes.
Quando tudo passa, quando todos já estão calmos e as coisas recompostas é quando nos damos ao luxo de sentir e é nessa altura, no depois, que vamos ao charco.

A dor no peito de que falas, a angustia, a magoa, o cansaço, vem tudo por aí a cima.

Felizmente que temos esse dom, porque quem precisa de nós nos momentos dificeis tem-nos por inteiras, e só assim os podemos ajudar.

Fica a pergunta. Quem nos ajuda a nós no depois?
Nunca ninguém me respondeu a isto.

papu disse...

Temos de ser nós, amiga, temos de ser nós. Mais uma vez...

Mas ser mãe é isto, não é? Primeiro eles e depois nós... se bem que também nós precisamos de mimos...

às vezes acho que crescer e tornar-se adulto é isto: passar a ser a nossa a mão que nos afaga a cabeça, a ser em nós que vamos encontrar as forças... mesmo nas situações mais difíceis.

Porque o sofrimento é um processo solitário... tal como o crescimento...

mas já estou para aqui a divagar!
Olha, obrigada, amiga, estou mesmo a precisar de mimos! :)

beijinhos

O meu Blog! disse...

minha querida...se precisares de uma mão para te mimar ou apoiar em qualquer momento difícil, lembra-te q eu tenho duas ;)...mesmo ao longe o meu coração e pensamento está aí...

beijoquinhas gordas!

Ana

papu disse...

Ó Ana, agora não deixo passar, vou-te responder já...

Muito muito obrigada... é mesmo disso que estou a precisar... :)

beijos

Zeak disse...

O que é preciso é que a nossa Alma se sinta sempre livre.
A partir de hoje fazes parte do Plagiadíssimo.