quarta-feira, março 15, 2006

LEITURA À QUARTA

Arundhati Roy, O Deus das Pequenas Coisas
Já li este livro há alguns anos, e não o tenho comigo neste momento. Da sua leitura recordo a sua intensidade e a forma brilhante como a autora nos consegue meter na pele de duas crianças, pintando-nos o mundo com as cores e os códigos próprios da infância. Estha e Rachel (acho que são estes os nomes) são dois irmãos inseparáveis, que se separam devido a feridas antigas do passado e voltam a reencontar-se já adultos, na terra onde viveram a sua infância, e onde nunca mais tinham regressado, também. Ao longo do livro vamos desvendando uma trama impressionante de emoções, de histórias passadas, de amores proibidos e preconceitos raciais, de afectos intocáveis e de um crime familiar, que permaneceu oculto da memória das duas crianças, que se descobrem de súbito cúmplices inocentes, devido à sua ingenuidade e à perícia maldosa de adultos perversos e escravos de anos e anos de segregação de castas, na complexa hierarquia de uma sociedade fechada e absolutamente discriminatória.

Este livro faz-nos mergulhar no clima inclemente das monções; sentimos a humidade respirar nas folhas, semtimos as chuvas inundar-nos a alma, sentimos o calor sufocante apertar-nos a garganta. E sentimos o medo, o ódio, o horror, a vida, a morte, o amor e todos os sentimentos fortíssimos que esta história nos desperta. Fascinante, cruel, fantástico, real. E comovente.

5 comentários:

Algodão disse...

este é lindo,são mesmo as pequenas coisas que nos fazem felizes :)

sarapico disse...

li e amei!!

Marta disse...

Li duas vezes seguidas, para conseguir entender bem a plenitude da história.
Adorei.

Beijinho

matarbustos disse...

vou apontar na lista de leituras futuras...

papu disse...

Também li este livro mais de uma vez :)
aliás, é um dos meus (estranhos) hábitos: ler os livros várias vezes, quando gosto.

Obrigada a todos :)