terça-feira, outubro 03, 2006

PRONTO, OLHEM, VOU QUEIXAR-ME!

Já estou há que tempos para escrever este post; pois bem, é hoje!

Este blogue foi criado essencialmente para os meus amigos de Portugal. A minha ideia era, no início, não me sentir tão longe das pessoas que tinha aí deixado, e, apesar da distância, poder comunicar facilmente com elas.

Mas, ao contrário do que seria de esperar, as pessoas que falam comigo através do blogue não são (salvo raras excepções) esses amigos para os quais eu escrevo (escrevia, embora ainda escreva). Na verdade, a maior parte deles nem sei se alguma vez aqui veio, devido ao seu absoluto silêncio.

Isto de estar longe não é fácil. Eu sei que a vida das pessoas é uma luta contra o tempo - a minha também é. Mas, quando se está longe como eu, são pequenas coisas - pequeníssimas mesmo - que mais contam. Bastam umas simples palavras para nos sentirmos mais perto.

Nos dois Natais que aqui passei, mandei cerca de uma ou duas dezenas de cartões de boas festas. Da segunda vez, se calhar quem os recebeu não reparou, foram feitos por nós - é verdade! Comprámos cartolina colorida e uns autocolantes giríssimos que eles aqui vendem. Os miúdos é que colaram os autocolantes. Ficaram um bocadito tortos e assimétricos, mas muito giros, bem mais giros do que se os tivéssemos comprado. E não pensem que estou a reclamar do trabalho que tive - tivémos muito prazer em fazê-los e em mandá-los. É disso que estou a falar, do prazer de partilhar com quem está longe. Mas também dá muito prazer receber uma resposta, pois dá. Querem saber quantos cartões recebemos daí? É melhor não dizer...

Eu sei que as cartas são coisas do século passado. Se calhar somos uma espécie em vias de extinção! Hoje em dia as pessoas preferem trocar emails e sms. Eu nem estou a pedir que me escrevam cartas! Bastam umas mensagenzinhas aqui nos comments. Um Olá. Um Beijo, sei lá! É só preciso carregar nas teclas, não tem contra-indicações. Não sabem como se comenta? Ó queridos, já podiam ter dito. É só clicar nos sinais de fumo. Podem comentar como anónimos que eu não me zango.

Um beijo :)

11 comentários:

CLS disse...

Realmente as cartas estão "démodés" mas eu ainda gosto muito de escrevê-las e ainda mais de receber um escrito de alguém, coisa q vai sendo rara hoje em dia.
Espero q te apareçam mais sinais de fumo :)
Bjs

ana disse...

eu não sou amiga, nem foi para mim que este blogue foi criado, mas gostava muito de poder mandar-te um posta de natal e de páscoa e de verão e sempre que me apetece como faço tantas vezes com quem está bem mais perto do que tu. também são raras as vezes em que recebo resposta. mas gosto imenso de fazê-los. fazê-los mesmo.

um beijinho.

Kate disse...

Eu estou como a Ana... Gosto de passar por aqui para te ler... a ti e também aos comentários...

Li há bocado, n'O Outro Lado da Lua, o texto "Maria que chora e João que ri". Faz-nos pensar...

papu disse...

Parece que só os amigos virtuais gostam de falar comigo aqui no blogue... tenho de me acostumar à ideia! E para mim também é um prazer ir contactando desta forma com pessoas que, de outra forma, nunca conheceria. É claro que não é conhecer no verdadeiro sentido do termo, tenho noção disso, mas não deixa de ter o seu lado interessante e verdadeiro. E hoje posso dizer que tenho amigas que conheci aqui, e que ultrapassaram a barreira virtual, sim. E é muito bom! :)

Muito obrigada pelas vossas mensagens carinhosas :)

Alex disse...

Sabes o que eu penso?
Que há uma certa dose de ciumes.


"Não tenho tempo de ler blogs"!

Mas depois sabem de cor o que escrevi e falam-me sobre isso.

Não dá para entender.
Não te aborreças.
Um beijo carinhoso para ti também.

Kate disse...

Às vezes dou comigo a pensar porque raio me dá vontade de dar a minha opinião nestes blogs, expressando os meus sentimentos ou o meu apreço a pessoas que só conheço através dos post ou de pequenos comentários. O que me parece é que estes pequenos textos, ou mesmo os comentários, que se escrevem deixam transparecer mais da nossa personalidade do que seria de supor, e que isso é depois interpretado por quem nos lê. Daí talvez surja então a tal amizade virtual, que não deixa de poder ser verdadeira, parece-me a mim, apesar de não nos conhecermos em carne e osso.

papu disse...

Pelos vistos não sou eu a única a queixar-me ;)

Pois é, Kate, eu faço a mesma pergunta a mim própria desde que comecei a andar por aqui, já lá vai um ano e picos. E, apesar de todos os defeitos, acho que estes contactos virtuais podem ser bastante produtivos e positivos. Isto, claro, se as pessoas que estão por detrás deles valerem a pena. :)

lenafalcato disse...

Papucita
Eu sou das que detestam escrever uma carta embora goste muito de as receber.
Para além dos muitos oficios que fui obrigada a escrever, pouco ultrapassarão a dúzia,

as pessoas que alguma vez receberam uma carta minha.
Agora, o meu batismo na net, veio facilitar um pouco a coisa. Digo um pouco porque, como o meu "negócio" não é saber mexer nestas máquinas, ainda não consigo relacionar-me muito bem com elas.
As fotos das crianças ficaram boas e, quando dominar a técnica, mando-tas.
O comentário já vai longo, já é uma carta de duas páginas...
Beijinhos para todos e em especial para o David e Diogo.
Lena

papu disse...

Lena: mas as "queixas", definitivamente, não são para ti! Tu deixas-me sempre uns sinais de fumo muito simpáticos, e olha que a tua relação com estas máquinas não podia ser melhor!!!
;)))

beijinhos

Anónimo disse...

Papu, manda daí a tua morada que vais ver que irás receber uns postalitos meus, inclusivé de Alcochete e tudo ;)

Pedro Ruivo disse...

Eh pá!

Em minha defesa só posso jurar que os 2 comentários dos posts acima deste foram feitos antes de ler este post recriminativo