quarta-feira, junho 29, 2005

AINDA

O DIOGO

Na cozinha, enquanto a mãe faz o jantar
- Bebé quéli páxalo gandi. Oláli oláli!
(aponta para dentro do armário da cozinha)
- Oláli o páxalo. Oló páxalo.
(mãe olha para dentro do armário mas só vê pacotes de bolachas e bolicao)
- O quê?
- Oláli o páxalo. Oláli! - insiste ele continuando a apontar na direcção dos pacotes - feça, feça, pa eli nã fugili - e fecha a porta com estrondo.
- O quê? Um pássaro? Aonde, filho? - pergunta a mãe abrindo a porta do armário e espreitando para dentro. Mas ainda só consegue ver pacotes de bolachas e bolicaos.
- Ali, ali - e bate com o dedo espetado no pacote de bolicaos.
- Ah! Isto? É o pássaro?
- Xim...
- Pois é... Vamos fechar, rápido, p'ra ele não fugir - e fechamos os dois a porta com estrondo e desatamos a rir.

Na rua
- Bebé quéli ili ali ó xéu.
- O bebé quer ir ver o céu?
- Não! Quéli tocáli xéu!
- Ah!...
(que mania que eles têm de ver tudo com as mãos...)

3 comentários:

Sinner disse...

Já comecei a ler ;)

Tens saudades do papo seco?? Eu cá tenho do pão de elástico!! (É claro que estou a brincar!!)

Beijinhos... Alex

Sinner disse...

PS: www.restricted_access.blogspot.com

Beijinhos again :)

papu disse...

Hello Alex!

Bem vinda a esta aventura in London...

Beijinhos :)