quarta-feira, setembro 14, 2005

JÁ FOMOS AO MÉDICO

e está tudo bem, como eu supunha. Ela disse mesmo assim: você é que é a mãe, conhece o seu filho, se não está preocupada e se acha que ele está bem é porque ele está bem. Se estivesse preocupada com alguma coisa eu mandava-o ao hospital para fazer exames. Mas se você me diz que não está preocupada, é porque o seu filho está bem. E pronto!

E mais ela disse, welcome to reality, pois parece que por aqui é hábito nos infantários mandarem os miúdos para o médico por coisas de nada. O pessoal que trabalha nas nurseries tem uma formação básica (mas então, que raio de país é este, onde os direitos das crianças são tão importantes e onde há tantos cuidados com as crianças, e depois a formação das pessoas que vão estar com as crianças anda pelas ruas da amargura?) e não quer assumir nenhuma responsabilidade, qualquer coisinha mandam as criancinhas para o médico. As crianças doentes é que precisam de cuidados médicos e de tomar medicamentos, as que estão bem não, dizia ela. Acho que sim. Fiquei a conhecê-la hoje, a Dra. Ba Shah (não tenho a certeza se se escreve assim), é a nossa GP (médica de família) e pelo menos não receita paracetamol por dá cá aquela palha (é quase uma anedota aqui, mas é verídico, já aconteceu a muita gente, quando vai ao GP, ele receitar sempre paracetamol, qualquer que seja a queixa).

Volte para o infantário, e diga que foi com ele ao médico e que está tudo bem. E se lhe perguntarem alguma coisa está aqui o meu cartão com o meu número, eles que me telefonem. E é isso mesmo que eu vou fazer na sexta feira. E se me vierem com merdas mando chamar o manager daquela porcaria e digo que não estou para aturar isto, que pago a minha parte da creche (o College ajuda-me a pagar) e que eles têm de ter pessoal em número suficiente e que faça o seu trabalho e que não me chateiem os cornos! (Isto é a minha raiva agora a falar, porque, infelizmente, não a sei utilizar - à raiva - a meu favor nas alturas certas. Mas posso sempre aprender! Já me adaptei a tantas coisas em tão pouco tempo que esta vai ser mais uma!)

8 comentários:

um estranho disse...

Ola :-)
Nunca te tinha visto pelas palavras dispersas, obrigada pela visita.

E vens de tão lonnnnge.
Está a ser dificil criar raizes?

beijinho.
Já vi que és mamã como eu :-)

papu disse...

Olá.
Benvinda.
Está um bocadinho difícil, mas é só um bocadinho. Há coisas também muito boas.
Aparece sempre, que eu também.
:)

um estranho disse...

Combinado.
Vou espreitar a tua "casa" para te conhecer um bocadinho mais.

Tudo de bom para ti e para o teu filhote (que é lindo).

A Lua disse...

olá, eu percebo que seja difícil tanta adaptação ainda por cima quando nos impõem um monte de regras, mas às vezes é bom aprendermos ou mesmo fazer um esforço para lidar com elas. É dificíl para a instituição chegar ao pé de um pai e dizer-lhe: O seu filho tem que ir ao médico! Mas o facto é que se a criança está com febre é porque talvez esteja a desencadear uma infecção, ou não,e daí é da obrigação da escola informar os papás. Imagine que numa sala com 20 alunos 15 estavam doentes, os outros 5 não têm que estar em contacto com aqueles que estão menos bem...

Pesso desculpa mas só queria dar uma ajudinha de forma a tentar fazê-la entender alguns aspectos que certos papás às vezes só conseguem ver quando a situação se passa com os filhos dos outros...Quando por exemplo levam e filho à escola e reparam que há um que está cheio de tosse e etc.

Até outro dia

Força aí

papu disse...

Lua: não é nada difícil dizer a uma mãe que o filho precisa de ir ao médico, quando ele está com febre! Mais: se está com febre o infantário pode muito bem recusar-se a recebê-lo! E quem diz febre diz qualquer outra situação de doença.

Mas não é esse o caso, como deves ter percebido, se leste o que escrevi com atenção.

Obrigada pela força!

Alex:
:)

Francisca disse...

Ainda bem! :)

O meu Blog! disse...

Pronto....decidi-me! Desculpa mas tinha de escrever qq coisa. Nao gosto de me meter na vida das outras pessoas e estava a fazer-me um bocadinho de confusão meter-me na tua. Mas depois de ver q mais intrusas o fizeram decidi-me. Há cerca de 1 mês, sem querer (penso q foi através de um post q afixaste num outro site), entrei na tua "privacidade". Isto das pesquisas na net é o q dá. Adorei ler os teus posts. Identificava-me muito com eles pq desde Setembro passado q vim morar para terras de sua majestade. Tb tenho um Diogo q na há 2 semanas começou a primary school. Tenho uma Joana q em principio vai para a nurserie para o mes q vem se EU ARRANJAR EMPREGO. Nem q seja um part-time mas preciso de apanhar frio na cara e andar de transportes publicos. Hoje ja estavam 3º às 07:00 AM!!
Tb me fez um bocado de confusao o facto de ser tudo ao contrario, alem dos carros q ja sabia obviamente, foi o facto das torneiras tb abrirem ao contrario (nao esquecendo os grandes escaldoes pq estas misturadoras nao funcionam TAO bem como as portuguesas, ora aí esta, uma coisa boa de portugal, as misturadoras das torneiras!).
Qto às nurseries, fui ver uma na semana passada e vi bebes de 6 meses a meterem sapatos na boca. Para eles, tudo o q seja bacterias, microbios e outros afins, protegem os nossos filhos de todas as enfermidades.
O meu marido q é SUPER galinha ficou em panico no outro dia qdo veio a casa a meio da manha, passou pela escola do Diogo, e disse-me: Meu Deus...o Diogo andava a brincar e a fazer P.E.....À CHUVA. E eu disse-lhe q no dia anterior qdo o tinha ido buscar, chovia. Ainda pensei esperar q a chuva acalmasse, mas via TODA A GENTE a andar normalmente, paravam inclusivamente para conversar enquanto se transformavam em pintos ensopados, na boa, e não era eu q ía fazer figura de otária à espera q parasse de chover. Joaninha...vamo-nos molhar...depois olha...trocamos de roupa! E com um sorriso de orelha a orelha lá fui eu, sentindo-me como se estivesse a andar de carro com o limpa pára brisas avariado.
Quanto ao post afixado mais abaixo, acho q nao precisamos q nos digam q é bom fazermos um esforço para aceitarmos certas regras. Fomos obrigadas a aceitar as regras de um país q se julga avançado, e realmente é em muitas coisas, mas tb é estupidamente conservador, o q por vezes chateia. Exactamente, qq mae, como foi dito, sabe q o facto de ter febre pode estar a desencadear uma infecçao, tal como pode ser apenas o organismo a combate-la e consegue faze-lo sozinho, sem precisar de medicos nem medicamentos. Era bonito se cada vez q os putos tivessem febre fossemos a correr com eles para o medico. E se qdo levamos os nossos filhos à escola e vemos q os outros estao cheios de tosse poderíamos pensar em deixar o emprego e proteger os nossos meninos do Reality World.
Em Inglaterra as crianças com 0º andam descalças. Nao usam chapeu de chuva. Qdo esta sol nao poem bone. Comem sandes ao almoço e carrot sticks. Sao loiras e lindas.
E pesso é com ç.

Mais uma vez desculpa ter-me metido na tua vida mas nao resisti.
Boa sorte na tua british life...eu vou continuar a minha no country side, com estradas aos SS, cheiro a vacas e a grass!! :)

Cheers!

Ana

papu disse...

Podes intrometer-te à vontade, adorei o teu comentário, e fartei-me de rir nalgumas partes, porque claro que também eu já senti a mesma coisa que tu em muitas coisas! Essa do frio e dos pés descalços ainda me custa a encaixar (eu fico gelada só de olhar!) mas de facto eles não adoecem (ou pelo menos não se nota!).

Beijinhos e aparece sempre! :)