sexta-feira, junho 09, 2006

DEJÀ VU

É o dia que é agora interminável. A luz entranha-se na pele e nos sentidos. Gosto do sol e do calor, gosto de sentir o ar a aquecer, gosto dos dias compridos que se arrastam luminosos na rota preguiçosa do sol. Lá isso gosto. Mas isto dá-me cabo dos nervos. Lá isso dá.

Olho pela janela, vejo o sol já a descer para o ocaso, a tarde ainda a demorar-se, vagarosa, nas folhas verdes das árvores, e nem penso, mas alguma informação oculta no ar que me entra pelas narinas transmite ao meu cérebro o que está estampado no cenário à minha volta: que ainda é cedo, que ainda falta um bom par de horas para o dia acabar, que ainda posso adiar mais uns minutos a hora do jantar...

Eis senão quando os meus olhos descem até ao relógio. E dou um pulo na cadeira. Porque, apesar de lá fora parecerem que são 5 da tarde, já é de noite. Os miúdos já deviam estar na cama, e ainda nem jantaram!

Este tem sido o filme das últimas noites. Ou melhor, e mais correctamente, da semana passada. Esta semana, com a volta aos horários escolares, já estamos mais familiarizados com estas vicissitudes horárias. Mas a adaptação foi custosa, olá se foi!

É que, como dizia, eu até gosto do sol e do verão, dos dias mais compridos, mas isto é demais. É luz a mais. Só escurece por volta das 10 da noite! Como é que os miúdos podem ir para a cama ainda com a luz do sol a sumir-se no crepúsculo? E depois o dia começa por vota das 4! Perco a conta às vezes que acordo de madrugada, com a manhã a bater-me nos olhos, a pensar que já estou atrasadíssima, e depois olho para o relógio para verificar, estupefacta, que ainda são 5 da manhã! Mas que mal fiz eu a Deus? Eu e mais não sei quantos milhões de mortais habitantes da parte superior do hemisfério norte? (Acho que no hemisfério sul as coisas se passam de forma semelhante).

Imagino os esquimós, mas nem é preciso ir tão longe, podemos ficar pela Noruega, Suécia, Finlândia... Eu enlouquecia, juro. Nunca pensei que luz a mais fosse tão perturbador. É que acho que prefiro o Inverno, em que às 4 começa a escurecer... é mais deprimente, mas ao menos à noite é mesmo de noite e podemos dormir descansados. Dormir de dia não resulta. O corpo não descansa da mesma forma. Ó pá, já lá vai o tempo em que fazia directas atrás umas das outras e virava os sonos do avesso. Às vezes acontecia-me dormir de dia e estar acordada de noite, tipo lenda do vampiro, mas era por opção, ora bolas, e nessa altura não tinha putos para mandar para a cama às 9 da noite!

2 comentários:

AmigaTeatro disse...

A idade não perdoa hehe ;P

CLS disse...

Quando falo em deitar à Camila e ainda se vê luz, ela reclama: "mas o céu ainda está aceso!". Imagino se fosse aí...
Bjs