sábado, setembro 06, 2008

Tejo


Eu sei que é triste.
Quando era pequenina, e morria algum gato lá da casa da avó, eu detestava ouvir aquela frase cruel que tantas vezes ouvia, e que me diziam para estancar as lágrimas e os gritos que eu não era capaz de calar:
- Se fosse uma pessoa era muito pior...
Claro que não era pior, para o meu coração destroçado era bem preferível que tivesse morrido a vizinha do lado, ou a padeira, ou o carteiro, ou outra pessoa qualquer, desde que, claro, fosse um nome completamente anónimo no meu universo de pouco menos que a dezena de anos.
Acho que quando crescemos nos esquecemos da crueldade dessa frase, a não ser que nos morra um desses amigos mais que fiéis, pessoa ou animal, não importa, o que importa é o lugar que ocupam no nosso coração. E o coração é como o universo: expande-se até ao infinito, para albergar galáxias imensas e acolher pequenos átomos de mundos infinitamente minúsculos e, ao mesmo tempo, gigantescos.
Guardem-no assim, vivo, e deixem-no ir, em paz.
Para que fiquem em paz, vocês também.

Muitos beijos daqui de looooonge.

3 comentários:

morfose disse...

É realmente uma frase cruel.
No outro dia, a Matilde escapuliu-se por entre o portão aberto e fugiu para a estrada. Deixei de a ver durante cerca de 40 minutos. Chorei baba e ranho, sozinha à procura dela. Houve uma senhora que parou o carro e me ajudou, vendo-me naquele estado. Mas pouca gente se identifica com este tipo de dor. Como é triste o Homem ter-se desligado assim dos animais.

avó mina disse...

Obrigada pelas vossas palavras, perdi tudo o que tinha escrito, agora já não sai nada, só sei que tem sido muito, muito difícil estar sem ele. Beijinhos

avó mina disse...

Obrigada por esta foto do nosso querido Tejocas