domingo, fevereiro 22, 2009

O drama de Jade

Compreendo o drama de Jade. Nenhuma pessoa merece o que ela está a passar, por mais estúpida e racista que seja. Compreendo, mas não consigo entender como é que uma pessoa na situação dela se expõe desta maneira ao mundo. Na verdade, acho patético. Não deixa de me entristecer, contudo, principalmente quando vejo os miúdos. Compreendo o desespero dela, mas a ideia de que está a fazer tudo isto pelo futuro dos filhos - pelo dinheiro que assim lhes deixará de herança - acho completamente abominável. As crianças mereciam herança melhor. Caramba, o dinheiro não é tudo, e, numa situação destas, é de somenos importância, creio. Aquilo que importa, neste momento, parece-me, são os afectos. Nos últimos dias de vida da mãe, estas crianças mereciam a privacidade das suas vidas de volta - o direito a não estarem constantemente com a porta de casa aberta para quem quiser espreitar. Aposto que não têm um minuto de sossego, a sós, consigo mesmos nem com a mãe. Até a vemos quando está na casa-de-banho, a maquilhar-se! Está bem que ela escolheu isto, mas as crianças não escolheram esta invasão constante das suas vidas. E não, não acho que ela esteja a pensar no futuro dos filhos - acho que ela está pura e simplesmente desesperada e sem saber como lidar com a morte. Não é que algum de nós saiba. Porém, à frente das câmaras é que ninguém consegue encontrar a serenidade para tentar. Talvez seja isso que mais a assusta e de que foge a sete pés: o confrontar-se com ela mesma e com a dura realidade que a aguarda, sozinha, sem este aparato mediático todo à volta. Só que este aparato, em vez de a ajudar, está apenas a anestesiá-la, a adormecê-la, a alheá-la da realidade. O mais triste e patético é que ela não se apercebe e leva esta empreitada a cabo para servir de exemplo às outras mulheres, tipo campanha sanitária: mulheres, olhem bem para mim, é isto que vo acontecerá se não tomarem as precauções devidas em relação ao cancro do colo do útero. Este sentido humanitário pode ser até muito bonito e altruísta; porém, não precisávamos de assistir à morte em directo para captarmos a mensagem, que, acho, já toda a gente captou. Para mim tudo isto são tretas. Se Jade estivesse realmente preocupada com os filhos, como diz, tentaria dedicar-lhes o máximo de tempo possível, um tempo precioso que ficasse para sempre gravado na memória deles, e que dinheiro nenhum no mundo compra.

1 comentário:

edelweiss disse...

Acho que qualquer outra razão não faria sentido, ninguém que sabe que vai morrer em poucas semanas tem pachorra para aturar pessoas estranhas à volta, por isso até acredito que ela esteja a garantir uma boa conta bancária para o futuro dos filhos, uma maneira de poder morrer mais descansada.