quarta-feira, fevereiro 25, 2009

David

Depois de gritar umas quantas vezes lá para cima, porque as vozes deles continuam a ressoar, apesar de já estarmos em período de silêncio obrigatório (depois dos habituais cinco minutos de conversa antes do sono) fico histérica e desato aos berros, porque já é a terceira vez que vejo a luz da casa-de-banho acesa.
«Quem é que deixou a luz outra vez acesa? Quero a luz apagada JÁ!!!»
E nisto responde-me uma voz na maior das calmas:
«Sometimes I think you're just crazy... I am in the toilet!»
E eu olho melhor para o cimo das escadas, para a porta da casa de banho entreaberta, e vejo a cabeça dele assomar, com um sorriso mal disfarçado:
«Hello?...»
No outro dia estava-me a chatear a cabeça para que eu lhe dissesse a password do computador.
«David, se eu te disser a password, mais vale tirá-la, porque é para tu só poderes ir ao computador com a nossa autorização que a activámos!»
Mas ele não me ouvia, e continuava a pensar alto.
«Será que é elf2k? Será que é manupapu...?»
E eu já farta:
«Pára de pensar, que eu não te vou dizer!»
E ele indignado:
«Now you want to stop me thinking? You can't do that! I can think whatever I want! I can swear thinking, I can think you're an idiot, I can think anything!»
E eu desmanchei-me a rir.
Não sei o que me orgulha mais, se os elogios dos professores, se ouvi-lo falar assim.