sexta-feira, fevereiro 06, 2009

O ensino em Portugal ainda está na idade da pedra

A minha mãe ao telefone, uma nota de preocupação na voz: A Catarina teve 19 erros num ditado. Já disse ao teu irmão que tem de trabalhar mais com ela... A Catarina é a minha sobrinha, e está no segundo ano, parece-me. E eu a pensar cá com os meus botões, mas então, o que é que se esperava? Que desse muito poucos erros, ou nenhum? Uma criança que acabou de começar a aprender a ler e a escrever, não é suposto escrever com erros? Ou sou eu? É que às vezes já me irrita, isto de parecer que quero ver sempre mais além. E vejo. E acho uma estupidez. Ditados? Ainda se fazem ditados? Para quê, para assinalar os erros? Que interesse tem isso? Façam antes livros, pá! Sim, construam livros, escritos pelas crianças, com erros, sim, não importa. E com desenhos nas páginas e nas bordas. Venham cá espreitar os livros feitos pelas crianças, desde a pré-primária, alguns praticamente sem palavras escritas, outros cheios de letras mal desenhadas e erros escabrosos, outros nem tanto, mas todos com um cunho próprio, cheios de vida nas cores dos desenhos. Façam livros, e verão como os erros tenderão a desaparecer, com o tempo. Aliás, o erro não se evita; o erro é uma ferramenta fundamental na aprendizagem, parece-me. Mas não para ser assinalado. Assinalados com alarme devem ser os progressos. Ditados e cópias, faziam-se no meu tempo e eram uma seca. A melhor forma de aprender, é brincando e divertindo-se. Uma coisa tão simples e tão difícil de entrar nalgumas cabeças.  

3 comentários:

Kakia disse...

concordo completamente. o ensino em portugal é um atraso de vida, estão agora a aderir a metodologias desenvolvidas no início do século passado...

Elsa Serra disse...

Nem imaginas o que eu luto contra esse "drama", são eles a fazer jogos de escrita criativa, e estão as profs por trás a descobrir os erros e a ralhar, e eu lá tento explicar que faz parte do processo e a correcção só se faz no fim depois de criar, ninguém consegue inventar histórias e corrigir ao mesmo tempo e eu remato que até os escritores dão erros...e elas ficam danadas, é pena que não percebam que dar erros faz mesmo parte do processo de aprendizagem...e é assim com tudo na vida...não é só na escrita...

beijinhos de Lisboa

edelweiss disse...

Devo dizer que durante uns tempos andei muito céptica em relação a não fazerem ditados e cópias, mas a verdade é que ele tem 7 anos e quase não dá erros, por isso tenho que reconhecer que afinal não fazem falta nenhuma.