terça-feira, março 30, 2010

Bullying passa a ser considerado crime

É mesmo típico de bom português: em vez de preocupar em arranjar estratégias para lidar com a coisa, preocupa-se com a coisa em si, sobrecarregando-a e fazendo com que adquira ainda mais volume, na minha opinião. Conheço muitos conterrâneos que, quando os filhos pequenos se portam mal, ameaçam chamar a polícia. Resulta sempre, porque as criancinhas, coitadas, têm um medo que se pelam. Quem não consegue assumir a autoridade em casa tem de se socorrer destes malabarismos, pois está claro. Sim, então é crime, e depois? O que é que vai acontecer? Vão a tribunal? Serão condenados? E qual será a pena? Será que não vêem que isto é um gasto de energia? Que deviam era estar preocupados em lidar com o problema? Desenvolver estratégias de protecção? São as vítimas do bullying, mais do que os bullies, que devem merecer a nossa atenção. O bullying existe em todo o lado, há que denunciá-lo e dar força e apoio às vítimas para o fazer. O bullying, além disso, engloba comportamentos muito diversos, desde o simples chamar nomes ao soco na cara. Vai-se criminalizar o quê? É preciso é que seja denunciado e que se encontre depois uma forma de lidar com a situação. Que forma? Ora é mesmo isso que devia ocupar neste momento a cabeça e a energia das pessoas: arranjar respostas adequadas a este problema. Se é crime ou não, depende da gravidade dos comportamentos em causa. Aliás, ser considerado crime não ajuda muito à denuncia. De queixinhas as vítimas vão passar a bufos ou coisa pior. O medo das represálias será ainda maior. Não se esqueçam que a escola é um dos sítios onde, supostamente, se modelam muitos comportamentos futuros.

(Os bullies são pessoas com desarranjos emocionais, muitas vezes eles próprios antigas vítimas de bullying. Precisam de ser ajudados e responsabilizados e não criminalizados.)

2 comentários:

Olho de Lince disse...

Mesmo!

Olga disse...

Hum... eu tenho mais em consideração as vitimas que sendo as que menos merecem, são as que mais sofrem... mas compreendo o seu ponto de vista, claro.

Um bom final de semana.

Bjinhus``